Publicidad

O Comercio celebra o bom momento da Economia

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

Números apurados pela Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG) indicam que este será o melhor Natal da década para o comércio varejista. Dados do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), acumulados buy viagra online na primeira quinzena de dezembro, confirmam esse caminho positivo ao revelarem _alta de 13,65% na média das compras à vista e a prazo, comparando com igual período do ano passado. _Com esses números, a ACICG projeta alta de 11% para dezembro em relação a igual período de 2009.

Para os doze meses de 2010, a expectativa é de crescimento de aproximadamente 9% na média das compras à vista e a prazo na comparação com 2009.

Especialistas explicam que o bom resultado para o varejo em 2010 foi estimulado principalmente pelo avanço do emprego — e, consequentemente, da massa salarial, além da maior oferta de crédito no mercado. Junto com a alta no volume de crédito, houve também a ampliação dos prazos de pagamento, o que fez as prestações ficarem menores. Parcelas menores em uma realidade de aumento de renda resultam em crescimento das vendas.

Outro ponto a ser destacado é o dólar desvalorizado ante o real, que promoveu a entrada de importados no varejo brasileiro. Isso obrigou os fabricantes nacionais a reduzirem os preços, impulsionando ainda mais as vendas.

Expectativa

Para 2011, espera-se desaceleração do consumo, levando à redução do ritmo de crescimento das vendas. A média da expansão das transações à vista e a prazo para 2011 fica entre 6,5% e 7%, respectivamente. Vale lembrar que o governo federal já começou a emplacar medidas de contenção do consumo para evitar o avanço da inflação.

Para 2011 se espera a elevação dos juros e o fim de incentivos fiscais, como a desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para alguns bens. A taxa básica de juros (Selic) projetada pela ACSP para o ano que vem é de 11,5%, ante os 10,75% que fecham 2010. Com relação ao Produto Interno Bruto (PIB) de 2011, a expectativa é de 4,5%, ante os 7,5% deste ano.

Fonte: MS Aqui

Publicidad