Publicidad

Presidente do Banco Central de Brasil continua no seu lugar

O presidente do Banco Central de Brasil, Henrique Meirelles, falou esta quinta feira que vai permanecer no cargo até o fim do seu mandado em vez de sair para disputar um cargo nas próximas eleições gerais de outubro, acabando com meses de especulações nesse sentido, e acalmando o mercado.

A continuação, alguns dados sobre o mandado de Meirelles na frente do Banco Central:

  • Meirelles, de 64 anos, e o presidente do Banco Central que mais tempo tem conservado o cargo, após assumi-lo em janeiro de 2003, bem no começo do primeiro mandado do presidente Lula.
  • Durante o mandado de Meirelles o Banco Central do Brasil obteve um grau de investimento de 240.000 milhões de dólares e reduz a taxa de juros referencial, Selic, ate seu mínimo nível histórico de 8,75%, desde um 26,5%.
  • Engenheiro e executivo de negócios, Meirelles foi um banqueiro de sucesso de Wall Street, foi presidente da Banca Global da Fleet Boston Financial em 1999.
  • Foi escolhido como deputado no Brasil em 2002 em representação do estado de Goiás, do qual e cidadão, pelo centrista Partido Da Social Democracia Brasileira (PSDB). Posteriormente abandonou o cargo para assumir a presidência do Banco Central.
  • Meirelles amplamente e considerado o responsável de ajudar ao Brasil a recuperar a confiança dos investidores na linha com as metas do governo.
  • Meirelles e seu rígido controle da inflação foram respaldados pelo primeiro ministro da Fazenda de Lula, Antonio Palocci, que defendia uma autonomia formal do Banco Central.

Mas o sucessor de Palocci, Guido Mantega, tem criticado frequentemente a política monetária do Banco Central, qualificando-a de rígida demais, a pesar de que a taxa de juros referencial, Selic, caiu para um dígito em julho de 2009 pela primeira vez desde sua criação.

  • Durante o mandado de Meirelles o Banco Central tomou medidas decisivas para ajudar o Brasil sair enfrente rapidamente da crise financeira global, incluindo uma enorme redução dos requisitos de compulsórios bancários após o colapso da empresa estadounidense Lehman Brothers.
  • Em setembro de 2009 se uniu ao centrista Partido Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), o maior da aliança de governo do Lula.

Analistas dizem que Meirelles poderia ter se candidatado para um lugar no Senado ou ser o candidata a vice-presidência na formula da candidata presidencial oficialista, Dilma Rousseff.

Publicidad