Publicidad

TR Taxa – Selic 2011

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

Semanalmente, o Banco Central (BC) divulga informações sobre as principais taxas e estimativas que movimentam e refletem o passado, o presente e o futuro da economia brasileira. Nesta segunda-feira (21), o relatório da Focus veja aqui elevou o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2011 e 2012.

clip_image002

O IPCA referente a 2011 sofreu variação para 5,79%, contra índice da semana passada de 5,75%. Em relação a 2012, o BC sustentou essa tendência e majorou a perspectiva de 4,70% para 4,78% na mesma concepção de comparação.

O Focus também decidiu manter as perspectivas da semana passada à Selic, a taxa básica de juros da economia. Para 2011, o índice permanece em 12,50%, e para 2012 em 11,25%, como já analisávamos dias atrás, veja aqui.

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

Ao Produto Interno Bruto (PIB) nenhuma novidade. O BC prevê crescimento de 4,50% tanto a 2011 quanto a 2012.

Como alterações na taxa básica de juros (Selic) são instrumentos para direcionar a inflação ao centro da meta, também segue a discordância dos especialistas se a taxa deve permanecer ou não em 12,50% conforme esperam os analistas entrevistados pelo BC.

Acredita-se que o mercado não deve revisar sua estimativa para a taxa Selic. Os analistas das Tendências prevêem, contudo, que a taxa de juros feche em 12,75%. Atualmente, ela está em 11,25%. Se espera que a taxa de juros aumente até a reunião de julho, a encerrar o ano a 13%.

A Selic também deve ter alta para conter a inflação que vem algo disparada por causa dos preços dos alimentos veja aqui. A taxa Selic pode ter os valores alterados ao longo do ano, a depender do desempenho da inflação. Em caso de persistência, deveremos assistir a um aumento, embora em valores que deverão estar em torno de 12,50%.

Paralelo a isso, se chama a atenção para o fato de que as previsões para inflação do mercado aqui subiram ao mesmo tempo em que a estimativa de crescimento da produção industrial sofreu uma forte queda, ao passar de 5% para 4,41%. "Há quatro semanas, as expectativas eram de 5,01%".

Neste cenário, acompanhada pela decisão do governo de fazer um contingenciamento de R$ 50 bilhões neste ano, o analista das Tendências afirma que o mercado deve revisar para baixo a previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2011. A expectativa para o avanço econômico de 4,4% para 3,9%. Desde a semana passada, a projeção para a expansão do PIB está em 4,5%.

Publicidad
Comments are closed.